Soltar balões é crime

Estamos no período de estiagem, quando a escassez de chuvas favorece a baixa qualidade do ar e o aumento da poluição. E, para agravar, outro fator provocado pela ação humana tem causado preocupação: os balões.

No último fim de semana, por pouco não ocorreu um grave problema por conta desta prática criminosa, em Jacareí. A queda de um balão próximo a casas em um bairro na área urbana e a prisão de um suspeito mobilizaram agentes da Guarda Civil Municipal e Polícia Florestal, além de causar preocupação nos moradores.

Apesar de, desta vez, não ter feito vítimas, a Secretaria Municipal de Segurança e Defesa do Cidadão ressalta que este tipo de ocorrência pode terminar em tragédia. A queda de um balão em área urbana, próximo a residências, estabelecimentos ou indústrias, pode causar incêndios de grandes proporções e prejuízos à vida de muitas pessoas. E se o balão cair em florestas, matas ou áreas de preservação pode provocar destruição da flora, da fauna e do solo, além de prejudicar a qualidade do ar.

“Em nada se justifica ações como estas. Soltar balões neste período de secas é uma irresponsabilidade gigantesca. Coloca a vida de pessoas em risco, polui o meio ambiente e gera dispêndios à Administração Pública”, afirma o secretário de Segurança e Defesa do Cidadão de Jacareí, Rafael Júlio.

Pena

A Secretaria de Segurança reforça que soltar balões é crime, previsto na Lei 9.605/98, que em seu artigo 42 proíbe o transporte, fabricação e soltura de balões. Os responsáveis podem responder por crime ambiental, com pena que varia de 1 a 3 anos de detenção e multa.

Denuncie

190 – Polícia Militar

153 – Guarda Civil Municipal

193 – Corpo de Bombeiros