Desfile Cívico reúne mais de 10 mil pessoas em Jacareí

Na manhã desta quinta-feira, apesar do sol forte, mais de dez mil pessoas se reuniram para prestigiar o Desfile Cívico de 7 de setembro. Para comemorar o Dia da Independência do Brasil, o desfile retornou à tradicional Avenida Nove de Julho após anos sendo realizado em outro local.

O verso do hino de Jacareí já diz “Berço puro de filhos brilhantes, tradição de inegável valor, teu passado foi feito de instantes de trabalho, de força e de amor!”, mas também pode retratar o momento de hoje.

A avenida pôde ser considerada um ‘berço puro’ e sobre ela passou uma amostra do que é nossa cidade representada por mais de 3 mil ‘filhos brilhantes’, que desfilaram, celebraram o patriotismo e deram uma amostra de trabalhos desenvolvidos na cidade, evocando valores de bem e valorizando a diversidade que compõem a cultura local para celebrar a independência de nosso país.

“Esse é o momento de demonstrar o amor à nossa pátria e à nossa cidade. Momento das pessoas se unirem em torno daquilo que é mais importante para nós, que é a pátria que nos abriga. Devemos respeitá-la, valorizá-la e festejar esta data”, celebra o prefeito de Jacareí, Izaias Santana.

Ao todo foram 27 entidades que desfilaram, entre as forças armadas federal, estadual e municipal, entidades sociais da cidade, escolas municipais e estaduais, secretarias municipais, orquestra sinfônica, grupos e clubes temáticos, entre outros.

A coordenadora pedagógica da JAM, Helena Rodrigues, ao lado do estudante José Roberto.

Para o aluno José Roberto, de 17 anos, que desfilou e também recebe assistência pela Jacareí Ampara Menores (JAM), apesar da vergonha, “eu fiquei alegre e achei o desfile muito bonito, principalmente os tambores da polícia. Quero desfilar mais vezes”.

Neste ano, para promover o civismo, a Prefeitura distribuiu cópias do hino de Jacareí para que os presentes pudessem acompanha-lo e cantá-lo junto com a orquestra. “Eu não sabia o hino de Jacareí e pude acompanhar pelo folheto, assim como o hino nacional, que eu já sabia. É uma honra poder cantar o hino da minha cidade”, afirma Ivina Pereira, estudante, de 19 anos.

(Guilherme Mendicelli/PMJ – Fotos: Alex Brito e Cristina Reis/PMJ)