• Previsão do tempo
  • 28ºC
  • 11ºC
  • RSS - Inscreva-se para ser notificado das últimas notícias da cidade
  • Busca
  • Fundação Cultural de Jacarehy
  • Diminuir o tamanho do texto Texto no tamanho original Aumentar o tamanho do texto Abrir a notícia em uma nova janela
  • 21/06/2013
Jussara Gherke é neta de Dona Nicota, autora da receita de bolinho caipira tombada como patrimônio histórico de Jacareí

Jussara Gherke é neta de Dona Nicota, autora da receita de bolinho caipira tombada como patrimônio histórico de Jacareí

Crédito: Alex Brito / PMJ

Feira apresenta variedades do bolinho caipira

    O bolinho caipira, iguaria muito apreciada nas Festas Juninas da região, ganha uma feira exclusiva entre os dias 28 e 30 (sexta a domingo) no Parque da Cidade, em Jacareí. É a segunda edição da Feira do Bolinho Caipira Regional, que reúne versões do bolinho apresentados por Jacareí, São José dos Campos, Guararema, Redenção da Serra e Paraibuna.
    Além da receita tradicional de Jacareí, quituteiros de Tremembé, Redenção da Serra e Guararema também prometem aguçar o paladar do público com outras versões do bolinho caipira na feira no Parque da Cidade. No total, são oito estandes para a venda de bolinho caipira, e mais estandes de artesanato e doces caseiros. O valor da unidade do bolinho será R$ 0,70. Há ainda a opção de três bolinhos por R$ 2,00.
    Segundo a presidente da Fundação Cultural de Jacarehy, Sonia Ferraz, a feira também tem “foco” na área social, com a participação de entidades assistenciais da cidade: Asilo Amor e Caridade, Aspad (Associação de pais e amigos do Down), Oficina da Espiritualidade Amor de Jesus, Mantenedora Vicente Decária, Hospital São Francisco, Asilo Lar Fraterno da Acácia, Patas da Amizade, APAJ (Associação de Pais dos Autistas de Jacareí), Casa do Curativo, Casa da Paz e Grupo de Apoio aos Animais de Jacareí. 
    Encontro de Moçambique – Além da atração gastronômica, o público também tem a oportunidade de conhecer manifestações populares como a Orquestra Piraquara de Viola, o cantor Déo Lopes, a Quadrilha Viva Vida, Folia de Reis, Jongo e Encontro de Moçambique com grupos das cidades participantes. No total são 15 atrações que se revezarão no palco da Feira do Bolinho Caipira durante os três dias.
Programação:
28/6 – Rincão Sertanejo (17h), Mutirão das Violas (18h), Quadrilha Viva Vida (19h) e Luiz Paulo e Júlio Cesar (20h30 às 22h)
29/6 - Rancho da Viola Branca (16h), Associação dos Violeiros de Jacareí (17h), Orquestra Piraquara de Viola Caipira (18h), Grupo Folia de Reis Filhos do Oriente (19h), Som da Terra (20h30)
30/6 – Encontro de Grupos de Moçambique (14h às 17h), Grupo de Jongo Mistura de Raça, Ranchinho da Serra (17h30), Cantinho da Viola (18h30), Grupo de Folia de Reis A Caminho de Belém (19h30), cantor Déo Lopes com 'O Sambeiro' (20h30 às 22h).  
 
Bolinho é patrimônio cultural de Jacareí
    Em Jacareí, o bolinho caipira vem atiçando o paladar de muita gente há mais de um século. E tamanha é a popularidade que já passou a compor o cardápio não só de festas juninas, mas de festas de aniversários e confraternização. Quem anda pela cidade também pode encontrar o bolinho caipira em quiosques, no Mercado Municipal e até trêileres de lanches. 
    A fama do bolinho caipira na cidade é tanta que em 2009 surgiu um movimento para transformá-lo em patrimônio cultural da cidade. E, em 2010, o prefeito Hamilton Mota sancionou o projeto de lei, de autoria do vereador Edinho Guedes, que reconhece o bolinho caipira como patrimônio cultural e histórico de Jacareí.
    Receita – A receita tombada como patrimônio cultural é de autoria da quituteira Ana Rita Alves Gherke, nascida em Jacareí, mais conhecida por “Dona Nicota”. Ela criou a receita em 1925 e servia a iguaria em festas juninas da cidade e também no Botequim de Café, estabelecimento de propriedade de sua família, no Mercado Municipal. 
    A receita tradicional do bolinho caipira de Jacareí tem como base uma receita simples: farinha de milho branca, água, sal, cheiro verde e óleo para fritar. O recheio pode variar conforme o gosto do freguês: peixe, carne de porco ou linguiça. Há ainda versões sofisticadas como o bolinho caipira mediterrâneo, com recheio de tomate seco e azeitona preta, invenção das primas Jussara e Marisa Gherke, que são netas de “Dona Nicota”. “Na nossa família todo mundo gosta de bolinho e também de preparar. Eu e a Marisa estamos fazendo algumas experimentações; além do tomate seco, vamos testar outros ingredientes no recheio”, diz Jussara.
    Mudança no trânsito – Devido ao evento, o estacionamento do Parque da Cidade ficará fechado entre os dias 24 e 30 de junho. No trecho, haverá interdição da faixa esquerda da avenida Engenheiro Davi Monteiro Lino (pista sentido centro). O espaço será usado como estacionamento para quem for à feira.
    (Rosana Antunes)


voltar ao índice de notícias

Telefones

Horário de Atendimento: das 9h às 17h

  • Prefeitura • 3955 9000
  • Sec. Saúde • 3955 9600
  • Sec. Educ. • 3955 9200
  • Sec. Infra. • 3954 0950
  • SAAE • 3954 0300
  • Assist. Social • 3954 2550
  • Fund. Cultural • 3951 0710
  • Fund. Pró-Lar • 3951 6402

Conselho Tutelar: (12) 3954-9920 e 153, da Guarda Municipal (plantões noturnos, feriados e finais de semana)